quinta-feira, maio 25, 2006

Quando o inverno chega...

- Estou velho demais para isso! Esses bandidos estão levando todo o nosso petróleo.
- Não é o petróleo, pai, é a floresta. O petróleo agora é nosso, temos autonomia.
- Dá na mesma! Isso é uma sem-vergonhice. Bons tempos da ditadura! Não tinha bandido por aí, não.
- Não, pai, mas também sumia muita gente honesta, que hoje faz falta nesse país. Morreram artistas, jornalistas, políticos bons. A ditadura não foi tão boa quanto o senhor imagina.
- É, mas naquela época não eram os nazistas que estavam no poder, como esse louco daí, amigo do Castro.
- Pai, ele é socialista, aliás neo-liberalista, e não nazista. E não é amigo do Fidel Castro. Só não é inimigo dele.
- Dá tudo na mesma, você dá licença de me deixar falar? Não vê que eu tô gagá? É nazista sim, por que não? No meu tempo não tinha isso não. Filha respondendo pro pai, vê se pode. Não se pode nem mais ser senil em paz nesse país. Isso é uma vergonha, meu Deus!

Um comentário:

Jadir disse...

Ambientalista extremamente frugal que sou não resisti deixar de fazer outro comentário tosco.
O conflito de gerações, ideologias divergentes e seus horrores num belo, suave e até irônico texto.