terça-feira, abril 03, 2007

O Palhaço

O Palhaço era o maior de sua época. Seu nome era aclamado por crianças do mundo todo. Os pais se orgulhavam de levar os filhos para ver o Palhaço que os havia alegrado em sua infância.
Quando ele entrava no picadeiro, era a maior festa! Pulava, dançava, se atrapalhava e fazia todo mundo dar risada.
Aonde quer que o Circo fosse, o Palhaço era a maior atração. O mais famoso e querido de todos os tempos.
À noite, o público aplaudia de pé seus formidáveis gracejos.
De manhã, quando acordava, o palhaço era outro homem. Amargo, rosnava de raiva a qualquer um que se aproximasse.
Ia para as jaulas dos bichos e os maltratava. Até o Leão tinha medo dele.
Um dia, esquentou um ferro para espetar na Zebra, pelo simples prazer de fazê-la sofrer. Levou um coice que lhe fraturou o crânio.
Nunca mais se ouviu falar no Palhaço, o rei do picadeiro. Nunca mais ninguém torturou a Zebra, ou o Leão que fosse. Venderam os bichos para o zoológico e foram embora do Estado.
Diz a lenda que o Palhaço ficou manso depois dessa palhaçada.
O Palhaço era um filho da puta.

Um comentário:

A Mente da Mulher disse...

Uau, Badá! É incrivelmente difícil comentar seus textos!

Pena que, ao contrário do palhaço dos seu texto, o montão de palhaços que tem por aí não tem vergonha na cara para sumir das nossas vistas.