domingo, abril 15, 2007

Transgredir é brega

Outro dia li no orkut uma tolice qualquer sobre a necessidade de "transgredir" e, para justificar, a citação de um trecho de um livro da Lya Luft:
"Pensar não é apenas a ameaça de enfrentar a alma no espelho: é sair das varandas de si mesmo e olhar em torno, e quem sabe finalmente respirar.
Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual. É o poderoso ciclo da existência. Nele todos os desastres e toda beleza têm significado como fases de um processo.
Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo. Nem compreenderemos que o prato das inevitáveis perdas pode pesar menos do que o dos possíveis ganhos.
Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história. O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem.
Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos impressiona tanto." Do livro "Pensar é transgredir" - Lya Luft.
A palavra "transgressão" está na moda, falou que é transgressão, todo mundo quer transgredir também.
Todo mundo se sente no direito e obrigação de dar uma transgredidinha básica, senão que vida chata é essa fazendo as coisas corretamente?
Na verdade, achei uma infeliz escolha de comparação da Lya Luft, afirmar que pensar é "transgredir", como se transgredir fosse uma coisa linda.
Claro que está na moda, especialmente entre nós mulheres, que com esse papo chato de liberação feminina, vivemos achando que temos a obrigação de quebrar os padrões, transgredir, causar o caos e a destruição para podermos nos sentir "libertas" e auto-suficientes.
Ledo engano. Primeiro, porque "transgredir" é ruim, significa passar do limite, cometer um abuso. Segundo, porque nós mulheres não temos que quebrar nada nem fazer um escarcéu só porque descobrimos que também somos indivíduos pensantes. Todo mundo já está de saco cheio desse papo de que os homens estão ficando obsoletos, que as mulheres de hoje são supermulheres, blábláblá, ninguém aguenta mais.
E terceito porque pensar não é transgredir, é evoluir, e não significa necessariamente ir contra o que há de atual, mas talvez apenas melhorar o que já existe, o que não se afigura como transgressão, mas como "upgrade" (já que querem palavras moderninhas).
Os hippies achavam que melhoravam muito o mundo quando deixavam de tomar banho e desobedeciam todas as regras sociais da época (higiene, moralidade, etc.) e hoje vemos que eram uns iludidos, que sua transgressão só serviu para denegri-los. Uma bobagem, um tempo romântico que graças a Deus não volta.
Os punks, os skinheads, os anarquistas, todo mundo acha que está fazendo uma bela coisa transgredindo, e veja no que dá. Confusão e mais preconceito.
Precisamos, sim, mudar os padrões, mas para melhor. Não precisamos ir contra a maré, mas sim, direcionar a maré para algo melhor. Precisamos de evolução e não de abuso. Precisamos estimular o pensamento para o bem, e não a discórdia. Haja saco pra essas palavrinhas da moda.

3 comentários:

O Bibliotecário disse...

Reflexão oportuna para uma época em que até a idéia de trangressão foi transgredida. É mais uma dessas palavras gastas com que as pessoas tentam maquiar a própria burrice. Seria bom se, ao invés transgredir, elas tentassem transcender.

Anônimo disse...

Talvez vc não tenha lido um livro, do rabino NIlton Bonder, chamado a Alma Imoral... Provavelmente ao ler vc conseguirá entender o que realmente é transgredir. Não se está apenas a tratar da transgressão 'ruim', mas se pode transgredir para evoluir. POde-se, por ex, pensar em transgredir esta cultura de corrupção que temos em nosso país, ou seja, neste caso há uma transgressão com bons resultados. Transgredir é violar, mas não apenas violar o que há de bom, mas também violar costumes e modelos já tão penetrados em nosso cotidiano...Ou seja, embora a palavra violar tenha um 'caráter' duvidoso, há de se pensar que podemos também transgredir sobre modelos errados de se viver.

Anônimo disse...

transgreção transcende lya luft.