sexta-feira, abril 27, 2007

A vida como ela deveria ser

Eu sempre imagino a minha vida como um romance épico e romanesco cheio de cenas humorísticas, cavaleiros de armadura e dragões alados imaginários (na minha imaginação o dragão também é imaginário).
E os personagens, claro, misturam as pessoas com quem convivo e aquelas com quem gostaria de conviver.
Assim, Edgar Allan Poe trabalha no mesmo escritório que eu, Cervantes é meu professor de literatura e Shakespeare é o diretor do teatro municipal, onde uma vez por mês tem sessão gratuita.
E viajamos todos a outros planetas através do Stargate, eu e o Ralph Fiennes, e às vezes Liz Taylor vai também, mas ela é sempre mais um estorvo que uma companhia.
Vivemos para endireitar o mundo e transformá-lo uma extensão da Escócia.

Nenhum comentário: