sexta-feira, junho 13, 2008

Saldo insuficiente

Sexta-feira 13.
Dia de escovar os dentes de olho na porta do banheiro.
Dia de não colocar cartas no Correio, porque o conteúdo pode desaparecer e os envelopes chegarem vazios, lacrados, ao seu destino.
Não se pode comprar um churro, porque é possível vir sem o recheio.
E mesmo andar na calçada implica em risco de atropelamento.
Dia de evitar os gatos - os pretos por convicção, e quaisquer outros por precaução. E de evitar os cães, para não ficar babado.
Dia de chupar pirulito com desconfiança, imaginando sempre aquele palito atravessado na sua garganta. E de guardar o bombom na gaveta do escritório para só comer na Segunda-feira.
Sexta-feira 13 é dia de não cozinhar, devido ao perigo de incêndio. E de não beber muita água, para não sofrer um afogamento.
É dia de tevê desligada, para não ter notícia ruim, e de não ler livro algum, para não receber maus presságios.
É dia, obviamente, de se guardar toda arma, e qualquer outro instrumento - mesmo as mais inocentes colheres, pois nunca se sabe. De espiar atrás da cortina, de pular as riscas do piso, e de não se olhar no espelho.
Principalmente é um dia em que não devemos falar, porque tudo o que dissermos pode se voltar contra nós.
Até os passarinhos lançam um olhar suspeito para os transeuntes, na certa maquinando meios de lhes emporcalhar os cabelos, ou com medo de ter seus ovinhos roubados.
Todo mundo parece suspeito, todo mundo parece mau. As cabeças abaixadas vão pesadas de conjeturas sobre o grau de perigo iminente.
É dia de esvaziar os bolsos e evitar pegar o carro, dia de evitar pegar sol e também de evitar chuva. Sexta-feira 13 é dia de evitar a vida.
E principalmente, é primordial, um dia em que devo evitar, com horror e a qualquer custo, o uso de caixa-eletrônico.

2 comentários:

O Bibliotecário disse...

Credo!... Mas ganhar um gato branco órfão, pode?... Agora já foi!

Moda Feminina disse...

kkkkkkkkkkkkk
Adorei o blog