quarta-feira, novembro 26, 2008

Espírito natalino, hein?

Um Natal qualquer.
Como se fosse outro Natal e não esse. Em qualquer época.
Alguns ficam choramingando, fungando e apontando o dedo. Não podem ver alguém ganhar presente e já falam logo de crise, sistema, cotas, classes.
Outros ficam constrangidos e fingem não poder ganhar presente, choramingam um pouquinho e tomam um vinho escondido, sabendo que escândalo seria se os outros descobrissem.
E poucos, abertamente, vivem como se não devessem nada a ninguém, e provavelmente não devem, exceto dinheiro, e mesmo assim muito pouco e tudo sob controle.
Vem o Natal, e estes vivem. Não precisam fazer gracinha para ninguém, nem reclamar da vida para angariar respeito. Comemoram por convenção, porque nem acreditam nisso, mas se falta convicção, não falta contentamento, e todos usufruem seus presentes sem receio de parecer maus.
Anos vêm e vão e as pessoas continuam as mesmas.
Um luxinho, por caridade!

Um comentário:

Larissa Bohnenberger disse...

Não faz mal a ninguém, não é mesmo?