terça-feira, novembro 23, 2010

Haja paciência

Há pouco tempo, fizeram uma fraude com meu cartão de crédito. Horas de canseira e quilômetros de filas depois, consegui resolver.

Ontem, um golpista ligou para a casa da minha mãe querendo confirmar meu nome, endereço e pedindo o número do meu celular - supostamente porque ganhei algum prêmio. Mandei dizer que eu tinha morrido e que minha missa de sétimo dia vai ser Sexta-feira.

Hoje, recebi uma multa pelo correio. O provinciano que comprou meu carro teve a esperteza de cometer uma infração no dia da compra, porque a multa ainda viria no meu nome. Cúmulo da má-fé, de baixeza, de coisa de gentinha.
Farei tudo o que estiver ao meu alcance para lhe causar os piores incômodos, as mais constrangedoras situações e os mais elevados gastos. Espero que ele tenha uma combustão espontânea à noite enquanto dorme, assim que tudo estiver resolvido.

Não existe mais gente decente no planeta? Não existe mais paz? Todo dia um novo golpe, um novo abuso, uma nova desonestidade, um jeitinho?

Eu odeio a humanidade e não consigo disfarçar, eu prendo a respiração na rua ao passar do lado de alguém, eu cumprimento com aceno para não me tocarem no braço - ou pior, beijarem meu rosto. Detesto telefonemas - todos, detesto receber cartas, detesto ouvir gente falando perto de mim. Isso tudo quanto às pessoas "normais", imagine só o que sinto por esses malditos vigaristas.

Espero que morram todos de maneira dolorosa e terrível, em meio a lembranças amargas e longe da compaixão de quem quer que seja. Desejo que apodreçam em vida e que sofram as piores desgraças, contorcendo-se engasgados no próprio sangue.

Se eu não tivesse tanto nojo de gente, mataria todos eles. Mas essa gente não tem nem a dignidade de morrer direito; fazem estardalhaço, gritam, revolvem-se de maneira odiosa. Cabe-me então esperar que alguma divindade existente tome conta desses tipos e faça com eles o que é de esperar que alguém todo-poderoso faria: executá-los, limpar o mundo e nos permitir viver em paz.

Um comentário:

Ole disse...

Badazinha, saiba apenas que você não está sozinha. Compartilho desse seu desgosto.

Mas calma-te. Sei que é fácil falar... mas você tem de mostrar (pra você mesma, unicamente para você mesma) que você é superior.

Desejar a eles toda essas más-sortes é humanamente compreensível mas, convenhamos, agir dessa maneira não a faz melhor do que eles, né?

Eleve sua vibração.

Um abraço apertadOle